Buscar

DOMÍNIO PESSOAL



A palavra ‘Disciplina’ no título acima pode nos parecer estranho.

‘Domínio Pessoal’ nos remete a controle ou domínio interior.

A disciplina do domínio pessoal tornou-se disciplina acadêmica nos Estados Unidos.

Adotada por diversas escolas de ensino médio e superior.

Ela é uma das três disciplinas que formam a ‘Disciplina do inédito’.

Quando elaborava a ‘Disciplina do Inédito entendi que “domínio pessoal” é o norte para o homem direcionar a vida.

É a disciplina do crescimento e aprendizado pessoal

Como desenvolver o “Domínio Pessoal”?

Lidar com o ‘Inédito’ e/ou desenvolvimento da inteligência Lógica-Emocional, vai-se além das inteligências e competências; embora fundamentado nelas.

Vai além da revelação e da abertura espiritual, visto que exige-se crescimento espiritual.

Significa encarar a vida como trabalho criativo, vivê-la na perspectiva criativa, e não reativa.


Incorpora dois movimentos subjacentes:

1- Contínuo esclarecimento do que é importante e valorizado para si próprio.

Passa-se tanto tempo tentando a resolver problemas ao longo do caminho que se esquece os reais motivos pelos quais se está ali caminhando;

2- Aprender continuamente como ver a realidade atual com clareza:

“Você realmente está em um caminho semelhante ao que planejou?”

As pessoas com alto nível de “Domínio Pessoal” vivem em um estado de aprendizagem contínua.

Domínio pessoal não é algo que se possui, é um processo, uma disciplina que se leva para vida inteira.

Para se redirecionar rumo ao destino desejado é vital saber onde se encontra no momento.

A forma de incrementar uma noção de domínio pessoal é abordá-lo como uma disciplina, como uma série de práticas e princípios que devem ser aplicados para terem utilidade.

Este processo proporcionará escolhas claras, que normalmente estão intrínsecas nas metas.

Focar nos resultados que são realmente importantes podem funcionar como grande alavancagem.

A justaposição da ‘VISÃO’ (o que queremos) e uma imagem nítida da realidade atual (onde estamos) geram o que chamo de “Tensão Criativa”!


TENSÃO CRIATIVA

Tensão Criativa: uma força que tenta unir os dois, causada pela tendência natural de tensão para se buscar uma solução.

A essência do domínio pessoal é aprender a gerar e sustentar a tensão criativa na vida.

Aproveito a oportunidade para corroborar com a teoria usando uma experiência própria.

O conceito da tensão criativa mudou minha forma de conduzir a vida, tomei autoconsciência de um hábito nocivo desenvolvido ao longo dos anos: transformar tensão criativa em tensão emocional.

Na jornada de transmitir o MIDE, garanto que essa é a realidade de, praticamente, 100% das pessoas.

Talvez explique porque os americanos perceberam o valor desta nova disciplina.

Não existe ‘Criatividade’ sem tensão criativa, ela é o motor propulsor da criação, é o que provoca sua essência, seus dons e seu propósito de vida, usando como canal de comunicação a ‘intuição’.

Como a maioria não tem uma ‘Visão’ clara em suas vidas, acabam transformando a tensão criativa em tensão emocional e o que era para ser uma solução se torna um problema.

O propósito desta disciplina é trazer a ‘Visão’ ao ‘inédito’, seja no campo profissional, pessoal ou familiar.


15 CARACTERÍSTICAS DAS PESSOAS COM DOMÍNIO PESSOAL

Características de pessoas que possuem um alto nível de domínio pessoal:

1. Possuem um senso de propósito especial que está por trás das suas visões e metas;

2. Uma visão é um chamado, não apenas uma boa ideia.

3. Enxergam a realidade atual como uma aliada e não como uma inimiga.

4. Aprenderam a perceber e trabalhar com as forças das mudanças e não se opor a elas.

5. São profundamente curiosas, continuamente comprometidas a ver a realidade de forma cada vez mais precisa.

6. Sentem-se conectadas aos outros e à vida em si.

7. Não sacrificam sua singularidade.

8. Acreditam ser parte de um processo criativo maior, o qual pode ser influenciado, mas não pode ser controlado unilateralmente.

9. Desenvolvem a “Mente Disciplinada”, vivem em um estado de aprendizagem contínua. São pessoas que nunca chegam lá. Entendem que “domínio pessoal” não é algo que se possui. É um processo;

10. É uma disciplina para a vida inteira.

11. São conscientes de sua ignorância, de sua incompetência e de seus pontos a serem melhorados.

12. Possuem grande autoconfiança.

13. Enxergam que a recompensa é a jornada e não a chegada.

14. São os que perceberam a defasagem do mundo atual, onde se busca o crescimento físico e intelectual e deixa em segundo plano o emocional.

15. Comprometem-se mais, tomam iniciativas, visão abrangente, expressivo senso de responsabilidade pelo trabalho e facilidade de aprendizagem


VISÃO PESSOAL

A visão pessoal bem compreendida assume o papel de sua bússola interna, sempre alerta guiando o caminho.

Não é uma imagem estática e sim uma janela com uma paisagem sagrada para você, ela mexe fundo, leva ao fluxo, gera sonhos, tem cheiro, cor e temperatura.

É um destino específico, uma imagem de um futuro desejado. Ela é concreta e traz sentimentos aos nossos pensamentos.

Quando fechamos os olhos e pensamos em nossa ‘Visão Pessoal’ nos vemos nela, o que chamo de metavisão, em um estado de êxtase como se ela fosse o ópio da sua felicidade.

Ela responde a seguinte pergunta: “Eu seria muito feliz e realizado se...?”

As crianças tem um dom intrínseco de percebê-la e os adultos geralmente associam com algo que gostariam de se livrar.

Quando começo a trabalhar a ‘Visão Pessoal’ nas pessoas percebo esse fenômeno, normalmente chega uma lista de coisas ruins que as pessoas querem mudar e isso definitivamente não é uma visão pessoal.

Mais importante do que a visão em si, é o que ela traz.

Uma visão verdadeira aflora nossos valores, princípios e o mais importante, neste caso, o propósito de nossa vida, guardado em nossa 9a. consciência.

Não se pode entender a verdadeira visão sem levar em consideração a ideia de propósito.


PROPÓSITO

Você saberia responder: “Qual o seu propósito de vida?”

Nos últimos três anos venho fazendo esta pergunta as pessoas e até hoje encontrei apenas uma pessoa que me deram uma resposta consistente.

Propósito não é uma meta ou um lugar, um destino qualquer.

É o que dá sentido a nossa vida, é a quilha do nosso barco, não pode ser vista mas é o que dá direção.

Ter um propósito na vida é o mesmo que encontrar sentido na jornada e não na chegada, não é algo que se cumpre, por isso não está relacionado a chagada, é algo que se vive cada segundo de sua vida, até a morte.

Um propósito deve responder a seguinte pergunta:

Que diferença eu faço com minha vida?

Definir um propósito leva tempo.

A declaração de propósito de vida é valiosa porque foca a atenção em uma vida integral.

A ‘Visão Pessoal’ é a materialização de seu propósito, como traduzi-lo ao consciente.

O Processo de se definir um propósito é rico em autodescobertas, esclarece valores e ajuda a definir sua visão.

Quando abordo propósito costumo usar uma palavra pouco buscada em nossa sociedade, ‘UTOPIA’.

Quando o assunto é propósito, utopia é uma característica fantástica.

A questão é que hoje em dia as pessoas estão receosas em assumir compromissos, principalmente com relação a elas mesmos.

Vou exemplificar bem aqui a diferença entre meta e propósito, ao mesmo tempo demonstrar como a utopia no segundo faz sentido.

Existe uma associação japonesa, presente no mundo todo e membro da ONU, chamada SOKA GAKKAI que tem como propósito a paz mundial.

Quando a cito algumas pessoas dizem, isso é utopia pura, impossível.

Se você olhar como uma meta, em uma vida, não faz muito sentido, mas quando se torna propósito dos associados, independente do tempo é fantástico, direciona todas as ações da associação no mundo inteiro na mesma direção.

Esse é um propósito que você pode viver em tempo integral até a morte, a luta pela paz.

UM PROPÓSITO NOBRE É SERVIR AOS OUTROS!

Em minha jornada responder qual era meu propósito de vida levou alguns meses de muita reflexão e um mestre japonês um dia me disse que sempre que eu encontrasse uma pessoa que não havia encontrado o seu propósito, eu deveria passar aquele que ele estava me dando naquele momento:

“Seja hoje, melhor do que você foi ontem.”


VISÃO PESSOAL x REALIDADE ATUAL

Para o domínio pessoal você precisa encontrar sua ‘Visão Pessoal’ e ao mesmo tempo traçar seu atual cenário.

Com essas duas realidades em mão, onde estou (atual) e para onde quero ir (Visão Pessoal), surge o que a disciplina do domínio pessoal chama de ‘Defasagem’, ou a diferença entre esses dois pontos.

No exato momento que você percebe as defasagens em áreas de suas vidas, transforma a tensão emocional ali presente em tensão criativa, por pior que seja o cenário atual, agora você tem uma direção.

A tensão emocional é uma força que sempre vai puxar de volta ao estado atual, ao conhecido.

Chamamos esse fenômeno de homeostase e aliados a ela temos o nosso sabotador; a voz interna sempre trabalha para que as coisas fiquem onde estão e a VDA – Voz de autocensura, alimenta duas crenças fortíssimas que todo os ser humano tem de forma inconsciente: Crença do demérito e a Crença da Impotência.

Crença do demérito: pela nossa formação, principalmente a ocidental, acreditamos que não somos merecedores de nossos sonhos.

Crença de Impotência: alimentada pela nossa VDA, enxergamos desafios como problemas e sempre acreditamos que não estamos prontos, ficamos dominados pelo medo.

“O ERRO É UM EVENTO CUJO BENEFÍCIO AINDA NÃO SE TRANSFORMOU EM VANTAGEM.” – Ed Land


TENSÃO EMOCIONAL x TENSÃO CRIATIVA

Imagine um elástico muito forte prendendo o a uma estaca e no limite máximo desse elástico exista uma mesa com um troféu.

Imagine em volta da mesa outro elástico puxando o rumo a mesa, fazendo uma força contrária ao elástico da estaca.

O elástico da estaca é sua homeostase, seu sabotador e sua VDA, gerando a tensão emocional e o elástico em volta da mesa é sua tensão criativa, gerando força para que você busque seu sonho, seu troféu ou sua visão.

No ponto onde as duas forças atuam simultaneamente chamamos de ‘conflito estrutural’, você fica dividido entre suas vozes que sabotam e sua intuição.


CONFLITO ESTRUTURAL

É o sistema que envolve a tensão que nos puxa para nosso objetivo e a tensão que nos ancora em nossa crença subjacente, porque se trata de uma estrutura de forças conflitantes, que nos puxam em direção ao que queremos e, ao mesmo tempo, nos afastam daquilo que queremos.

Existem três estratégias ruins adotadas de forma inconsciente pela maioria das pessoas para aliviar o conflito estrutural:

1a. Erosão da Visão: começamos acreditar em nosso sabotador quando ele diz que traçamos uma meta irreal, reduzimos nossos sonhos;

2a. Manipulação do conflito: quando tentamos manipular a nós mesmos em um grande esforço para alterar nossa visão;

3a. Determinação: quando usamos apenas um dos 7 fatores do inédito, chegamos a mesa esticando o elástico a qualquer preço, não há consciência do preço real desta ação;

A disciplina do inédito depende fundamentalmente da ‘Visão Pessoal’ e todos os elementos que ela traz de forma intrínseca.

Mas a ‘Visão Pessoal’ não levará o inédito sozinha, será necessário ainda mais duas disciplinas: ‘Pensamento Sistêmico’ e os ‘Modelos Mentais’.

Somente quando essas três disciplinas estiverem em pleno desenvolvimento, o inédito emergirá no consciente.


710 visualizações

Endereço: SMPW quadra 16, conjunto 04 - Parkway -

Brasília / DF - Brasil.

CEP 71.741-604