Buscar

Uma teoria que nasceu de uma palestra sobre "Disco Voadores" de Carl Jung


Teoria do Fluxo - Mihaly Csikszentmihalyi


A história do ponta pé inicial da teoria do fluxo é muito interessante.

Após a segunda guerra mundial, Mihaly,ainda jovem, observava o retorno a vida pelos judeus perseguidos pelos nazistas e pensava como era possível este povo voltar a vida normal?

Pobre, Mihaly, foi trabalhar em uma estação de esqui nos alpes suíços em suas férias.

Em um dia de folga sem dinheiro nenhum no bolso pegou um jornal emprestado e viu que naquele dia seria ministrada uma palestra sobre disco voadores.

Apesar de total desinteresse sobre o tema, resolveu assistir para ocupar seu tempo.

Ele ficou fascinado pelo palestrante e nem percebeu o tempo passar, horas se passaram como minutos e despertou interesse em explicar a felicidade.

O palestrante viria a influenciar sua vida para sempre, inclusive na escolha de sua carreira.

O palestrante era Carl Jung.

Mihaly Csikszentmihalyi decidiu desenvolver um estudo com o intuito de responder duas perguntas simultaneamente:

“Por que é tão difícil ser feliz?”

“Qual é o significado da vida?”

Assim nascia The Flow teory (Teoria do Fluxo).

O Estudo tinha como objetivo descobrir quais eram os elementos que contribuíam para trazer uma vida feliz.

Seus estudos percorreram arte, religião, filosofia e a psicologia, onde encontrou na psicologia a ferramenta ideal para responder a sua pergunta.

A pesquisa reforçou a teoria que defende que salário é um fator desmotivador, mas não motivador.

Riqueza não traz felicidade


Mihaly desenvolveu uma pesquisa por 40 anos com base na pirâmide de Meslow e concluiu que acima de um determinado ganho salarial, não havia ganho de felicidade.

A pesquisa apontou que a grande maioria das pessoas muito felizes, atingiram este estado com um salário, de U$6.000,00.

A pesquisa apontava que acima deste valor as pessoas não percebiam que a riqueza aumentava sua felicidade.

Se riqueza não é o que gera felicidade plena, onde estaria o segredo?

Qual seria segredo por trás da motivação real que fazem as pessoas continuarem a trabalhar a vida inteira quando fama e fortuna não fazem mais sentido?

Ele fez esta pergunta a diferentes artistas e cientistas.

Criou uma metodologia para que as pessoas 10 vezes por dia registrassem o que estava fazendo e como estavam se sentindo.

A partir dos resultados dessa pesquisa, Mihaly e sua equipe descobriram um grupo de “atividades ótimas” ou estado de “flow”.

ESTADO DE FLUXO


Quando estamos realmente envolvidos em um processo completamente engajado de FLUXO, nosso sistema nervoso não tem muita capacidade de monitorar como seu corpo está se sentindo, se está com fome, cansado ou mesmo pensar em seus problemas mundanos de casa e burocracias.

Assim, a existência é suspensa temporariamente.

Depois de um patamar você só encontrará a felicidade fazendo algo que faça sentido na sua vida.

COMO O ESTADO DE FLUXO É ATINGIDO?


Nas pesquisas de Mihaly entrevistando alpinistas, monges, pastores e uma variedade enorme de pessoas com diferentes níveis de educação e cultura, descobriu elementos comuns que indicam o que é estar no estado de fluxo:

Completamente envolvido no que se está fazendo: com foco e concentração.

Um sentimento de êxtase, de estar fora da realidade do dia a dia.

Uma maior claridade interna, sabendo o que deve ser feito e quão bem estamos fazendo o que deve ser feito.

Temos feedback imediato.

Saber que a atividade é possível, que nossas habilidades são adequadas para a tarefa.

Um sentimento de serenidade, sem preocupações e um sentimento de estar crescendo além dos limites do ego.

Uma ideia de estar além da dimensão temporal, totalmente focado no momento presente.

As horas parecem passar como se fossem minutos.

Motivação intrínseca, seja qual for o elemento que produz o fluxo é a nossa própria recompensa.

“Atividades ótimas” ou estado de “flow”.


Nas palavras de um músico:

“Você fica em um estado de êxtase de tal modo que sente que nem sequer existe mais.

Eu vivi isso várias vezes.

Minha mão parece mover independente de meu corpo, e eu não tenho a menor interferência no processo.

Eu apenas fico lá, assistindo em fascínio. E a música apenas flui.”

Nas palavras de um poeta:

“É como abrir uma porta que estava flutuando no meio do nada e a única coisa que você precisa fazer é abrir e se permitir mergulhar no que existe adiante.

Você não pode se forçar a passar por ela. Você simplesmente precisa flutuar.

Se existe algum tipo de força gravitacional, é do mundo de fora que tenta manter você do lado de fora”.

Nas palavras de uma bailarina:

“Foi simplesmente um desses programas que ‘clicou’. Quer dizer, tudo estava perfeito, tudo era bom.

É uma adrenalina, como se você pudesse tocar adiante como se nunca quisesse parar pois está mandando muito bem.

É praticamente como se não precisasse pensar, é como se tudo estivesse indo de forma automática sem pensar.

É como se estivesse num piloto automático, você não tem pensamentos. Você ouve a música mas não está consciente de ouvi-la, pois faz parte de tudo isso que está acontecendo”.

Nas palavras de uma empresária:

Anita Roddick, fundadora da The Body Shop recomenda: “Procure pela sua paixão.

O que te deixa excitado? O que te dá tesão?

Procure empresas que você realmente gosta, realmente admira.

O que é que você admira sobre elas?

Se puder, faça um programa de estágio lá, ou bata na porta e pergunte se você pode trabalhar lá sem exigir um salário alto.

Se puder, encontre organizações que mexem com seu espírito. Trabalhe ao lado deles. E divirta-se. Tem tanta coisa boa para aproveitar.”

O SEGREDO DO FLUXO


O SEGREDO DO FLUXO ESTÁ NO EQUILÍBRIO EXATO ENTRE O DESAFIO E SUA HABILIDADE PARA EXECUTAR O TRABALHO PROPOSTO.

Cada pessoa encontra o FLUXO quando está fazendo aquilo que realmente gosta.

Quando temos controle, domínio do que estamos fazendo, mas não nos sentimos muito desafiados, não entramos em fluxo.

A APATIA é o ponto mais negativo de todos.

Assistir televisão, usar entorpecentes e dormir não são atividades que geram prazer?

Apesar de serem prazerosas, elas não geram desafio, essas atividades de puro prazer que exigem pouca habilidade nos levam ao relaxamento, tédio ou, pior: APATIA.

As pesquisas comprovaram que o estado de FLUXO é CAÓRDICO.

O estado de fluxo te leva ao caos no sentido de criativo e ordem nos princípios, tudo isso gera equilíbrio.

Mihaly defende que nós humanos prezamos a organização, esta constatação é peça fundamental da teoria de fluxo: a satisfação humana está no processo de trazer ordem e controle para nossas vidas. Sem limitar o criativo!

O autor afirma com a teoria que cada momento que superamos nossos desafios, evoluímos e adquirimos maior complexidade, ficando prontos para desafios maiores.

É uma espiral virtuosa.

Continuando esse processo, estamos na rota de tornarmos indivíduos extraordinários.

Assim, as oportunidades que permitem atingir o fluxo são viciantes: sem elas, a vida seria chata, sem sentido ou cheia de ansiedade.

Para Mihaly, a felicidade pode ser aumentada ao fazermos aquilo que amamos, ele define como: “VIVER UMA VIDA PLENA”.

O FLUXO TRAZ SENSAÇÃO DE “PLENITUDE DE VIDA”

ASSASSINOS DO FLUXO


Excesso na agenda: É importante ficar atento a sua agenda, pois mesmo trabalhando em um projeto que leve-o ao fluxo, o excesso de agenda elimina o estado de fluxo, gera ansiedade e coloca sua mente focada no próximo compromisso.

No decorrer de uma atividade que leve-o ao fluxo é importante estar em um ambiente propício, organizado, que não faça sua atenção se voltar para bagunça do local.

Além do ambiente, você precisa de paz, você precisa se desligar do mundo digital, talvez o maior inimigo atual do fluxo.

Você precisa deixar sua mente buscar o inconsciente, intuir e isso não será possível com seu celular tocando, sinalizando cada e-mail, entrada de mensagem e ainda precisa eliminar as mensagens que entram automaticamente em seu computador, tudo isso elimina seu fluxo.


96 visualizações

Endereço: SMPW quadra 16, conjunto 04 - Parkway -

Brasília / DF - Brasil.

CEP 71.741-604