Buscar

A ÉTICA e a INTELIGÊNCIA EMOCIONAL



A ILE – Inteligência Lógica-Emocional é uma teoria que ampliou o universo da inteligência emocional e transcendeu os limites da psicologia.

Ela mergulhou na psicologia cognitiva, nas filosofias orientais, no “Espírito Criativo” e em conceitos adotados nas principais escolas de administração do mundo.

Esse amálgama objetivou expandir o pensamento do emocional, até então, circunscrito ao campo da psicologia.

Há pessoas que consideram a falta de inteligência emocional como problema psicológico. De fato, são coisas diferentes.

Alguém pode ter uma baixa inteligência emocional sem que isso se atenha a problemas psicológicos, todavia um trauma ou um problema de saúde mental pode afetar a manifestação da inteligência emocional.

A ILE traz elementos inéditos ao conceito de inteligência emocional indo além do que propôs Daniel Goleman em sua renomada teoria da IE.

O desenvolvimento emocional é sistêmico e por isso a disciplina do ‘Pensamento Sistêmico’, oriundo das escolas de administração, é fundamental ao processo.

Outra disciplina vinda das escolas de administração ampliaram exponencialmente o conceito de IE: os Modelos Mentais.

Não há como desenvolver a ILE sem entender esse conceito.

Outra disciplina da administração que deu sentido a ILE foi o ‘Domínio Pessoal’.

Esta, tem o propósito de traçar a ‘Visão’ de futuro e, consequentemente, elevar a tensão emocional à tensão criativa.

A ILE, ao propor como elemento chave do emocional a ‘Visão’ de futuro, revela um dos elementos mais importantes do emocional: ‘Propósito de Vida’.

Uma pessoa, sem definir a ‘Visão’ de futuro direcionada por propósito verdadeiro, não terá paz de espírito real nem atingirá elevado nível da ILE.

O ‘Propósito de Vida’ é formado por elementos que também estão fora da psicologia.

Isso é um dos motivos que há décadas buscamos, incansavelmente, respostas na IE – inteligência emocional--- e não encontramos.

O propósito deverá alinhar-se aos Valores e estes aos princípios da pessoa que, por sua vez, estarão alicerçados no propósito maior que é a Ética.


O QUE É ÉTICA?

Obs.: este texto de ética, na grande maioria, é uma transcrição das palavras da Dra. Terezinha Rios, professora de ética da USP em seu vídeo para o movimento AÇÃO ÉTICA, disponível para download em nosso site.

Para falar de ética precisamos fazer a distinção de Ética e Moral.

Normalmente, não fazemos essa distinção. Dizemos que uma pessoa agiu sem ética ou a pessoa foi imoral, ambos para designar o mesmo fato.

Refiro-me a distinção e não em separação. Não se separa Ética da Moral.

Normalmente, não fazemos essa distinção pelo fato de que ética e moral possuem a mesma etimologia.

Ética vem de ethos do grego e moral vem de moris do latim. Ambos significam costume ou jeito de agir.

Mas o que é um costume? Costume é um jeito inventado de viver em sociedade, um jeito que os homens inventam para organizar sua vida, por exemplo, não temos o costume de dormir e sim temos o costume de dormir em camas.

Em todas as sociedades os costumes são baseados em valores e por isso no desenvolvimento da ILE – Inteligência Lógica Emocional--- buscamos desenvolver a Matriz de Valor de cada pessoa, em um dos elementos que dará sustentação a Tensão Criativa na direção da Visão e do Propósito de Vida.

Os costumes de uma sociedade direcionam suas leis e regras.

Como é costumeiro, dizemos que é certo.

Aqui está a moral: Conjunto de prescrições que orientam a vida das pessoas em sociedade.

Não há sociedade sem moral, cada sociedade diz o que é bom ou mal ao seus membros, diz como devem se comportar.

E quando uma pessoa pergunta “Por que tenho que cumprir essa regra?”, a moral tem uma resposta de bate pronto: “Porque é para seu bem.”

Então o que isso significa? Significa que se você se comportar assim será aprovado e não será marginalizado. A moral tem um caráter normativo.

Quando perguntamos será que é mesmo para meu bem? Estamos caminhando para Ética, ela tem um caráter reflexivo.

Onde a moral diz esse é o caminho, a ética diz: “por que ir nessa direção?, Onde a moral diz não faça isso, a ética pergunta: “por que não fazer?”, Onde a moral diz é para seu bem, a ética diz: “Será para meu bem se for para o “Bem Comum” ou o bem de todos.

Então essa é a distinção entre moral e ética, onde a moral dá a ordem no caráter normativo, a ética pensa sobre a ordem buscando a raiz da intenção por trás da ordem.

A moral tem regras e a ética tem princípios e os princípios éticos são o respeito, a justiça e a solidariedade.

O respeito é o conceito básico ou o princípio nuclear da ética, dele que derivam os outros. Mas o que significa respeito? Significa o reconhecimento da existência do outro.

Há pessoa que diz reconhecer os outros, mas de fato não faz isso. Reconhecer é tomar consciência da existência.

Atualmente, é comum uma pessoa entrar em um elevador, apertar o botão do andar e sequer olhar para os outros que estão no elevador.

Não reconhece a existência do outro. O “Bem Comum” diz exatamente ao “Respeito”.

Já a ‘Justiça’ é igualdade na diferença. Somos diferentes homens e mulheres, católicos e islâmicos, mas somos iguais em direito. O contrário de igualdade não é diferença, e sim desigualdade.

Homem e mulher são diferentes, mas homem e mulher no mesmo cargo com salários diferentes é desigualdade.

E por fim, a solidariedade, é o respeito levado às últimas consequências.

Significa pensar no outro independentemente de qualquer coisa. A solidariedade constitui os princípios da ética.

Um dos nossos problemas sociais é que a ética, em nossa sociedade, ficou nos manuais de ética. Deveria estar no cotidiano ou ela simplesmente não faz sentido.

Nas ações do dia-a-dia, se percebemos a existência do outro, somos éticos.

A pessoa para seu carro na faixa de pedestre na porta da escola, desce e leva o filho até a catraca deixando seu carro travando o trânsito.

Não foi ético, não levou em consideração a existência de todos que estavam atrás.

A melhor definição que encontrei de ética e que adotei na ILE foi:

“Ética é a escolha pelo bem comum.”


A ÉTICA e a PLENITUDE

Na ILE – Inteligência Lógica-Emocional--- trabalhamos ética dentro do conceito de Plenitude.

A Plenitude de vida é o equilíbrio do propósito com os valores e princípios em uma base ética.

Plenitude é uma palavra pouco usada e pouco pensada. O que é Plenitude?

A plenitude está na raiz da ILE, viver uma vida plena é viver em paz de espírito e nesse ponto a ILE se afasta mais uma vez da psicologia e caminha para a filosofia.

Ela está diretamente relacionada ao “Agora”, ao “Hoje”.

Não está em um futuro distante, está em cada segundo de uma vida vivida com propósito, uma vida que tem um significado.

Na ILE a Plenitude está na jornada e não na chegada, por isso estamos pleno e não temos plenitude. É um estado de vida. Ter Plenitude é como engarrafar a luz.

Muitas pessoas confundem uma vida tranquila com uma vida plena.

Uma vida plena depende de vivermos conforme nosso propósito de vida, esse é o foco que trabalhamos na ILE:

“Qual é o seu Propósito de Vida?”

Buscamos ajudar as pessoas a encontrarem seu Propósito de Vida, acredito que ele seja parte da sua Visão de futuro.

Você saberia responder as perguntas:

“Onde você está agora e o que está fazendo com sua vida?”,

“Você realmente está no caminho que escolheu?”

A distância de onde está de onde quer chegar, VISÃO, chamam de defasagem e na ILE chamamos de JORNADA.

A Visão de uma pessoa é “O que?” a faz feliz.

Já o propósito é o “Por que?” aquela VISÃO a faz feliz, é o sentido de direcionar a JORNADA naquela direção.

O importante é entender que a visão não é uma meta que devemos atingir, uma meta que dependerá nossa felicidade, mas sim um norte para nossa jornada.

Viver uma vida plena é viver bem a jornada, cada dia da sua vida, sem se prender ao futuro.

Acredito que a sustentação da jornada está em seus valores, na sua matriz de valores, no que você valora.

Sua matriz de valores deve estar relacionada a ética e não a moral, não existem valores bons ou ruins.

Os valores são seus, o que você valoriza na vida e não pode ser julgado por ninguém.

Os princípios estão relacionados a moral e devem respeitar nossos valores.

Há aqueles que buscam desenvolver a ILE e não percebem que, no dia- a- dia, seus princípios ferem seus valores, melhor dizendo, abrem mão de seus valores e entram em forte dissonância.

Nosso corpo tem sentimentos regidos por vibrações, ressonantes – Sentimentos bons – e dissonantes – Sentimentos ruins- gerados por valores não respeitados.

Por exemplo, se honestidade é um valor para uma pessoa, então não corromper é um princípio que respeita esse valor.

Os valores são pessoais, intangíveis, ninguém pode medir um valor: honestidade, paz, respeito, liberdade, confiança.

Nos valores a ILE inova mais uma vez e traz a disciplina dos modelos mentais.

Eles explicam a subjetividade dos valores.

Liberdade para uma pessoa pode ter um significado diferente para o outra, visto que, estão diretamente regidos por modelos mentais.


ONDE ÉTICA e a ILE SE FUNDEM?

A fusão da ética com a ILE acontece na matriz de valor e consequentemente no estado de vida da Plenitude.

Percebo descaso com a ética em pessoas ao elaborar sua matriz de valores, quando todos os valores deveriam ter a ética como princípio central.

As pessoas normalmente preenchem sua matriz de valores pensando no que eles significam para si, não levando em conta o que preceitua a ética: “ escolha pelo bem comum.”

O método usado para elaborar a ILE, o MIDE – Múltiplas Inteligências & Desenvolvimento Emocional-----, é interconectado com a ética como raiz.

Ensinamos as pessoas como criar sua VISÃO de futuro, em um processo criativo específico que desenvolvi partindo do ‘Espírito Criativo’ de Daniel Goleman e da teoria do FLUXO de Milahy Czenckmihaly.

Na VISÃO buscamos o “Propósito” de vida, sustentado por uma “Matriz de Valores” e uma “Carta de Princípios”.

E é na “Matriz de Valores” que aplicamos o conceito da ética, criando a base da Plenitude de Vida de cada pessoa.

Comece a fazer as perguntas certas! Ao invés de buscar tantas respostas, faça as perguntas.

Estou no caminho planejado para minha vida?

Qual minha VISÃO de futuro?

Qual o meu PROPÓSITO DE VIDA?

Qual o significado que estou dando a minha vida?

Quais meus 10 valores de que nunca deveria abrir mão de serem respeitados?

Ao responder, ou pelo menos tentar, você começara a mensurar como anda sua ILE – Inteligência Lógica-Emocional.

Uma pessoa com uma ILE bem desenvolvida deveria ser capaz de responder a todas essas perguntas.


1,009 visualizações0 comentário

Endereço: SMPW quadra 16, conjunto 04 - Parkway -

Brasília / DF - Brasil.

CEP 71.741-604