Buscar

O Futuro dos Empregos

Atualizado: Mar 19


Análise do relatório "O Futuro do Emprego" - Fórum Econômico Mundial


O Fórum Econômico Mundial, tem na sua agenda, desde 2014, os relatórios sobre o futuro dos empregos e carreiras. Esses relatórios chamaram-me atenção: São Temas proeminentes nos meus estudos e pesquisas:


  1. Crianças e até jovens, passarão pela fase considerada, 4ª Revolução Industrial, talvez a mais conturbada da humanidade.

  2. Temos o desafio de lhes conduzir a escolha da carreira e como orientá-los nas competências e habilidades socioemocionais que precisarão desenvolver para enfrentar o mercado de trabalho.

  3. O tema me fascina muito. Sou contra aos que pregam, o cenário de tranquilidade e se acomodam frente as transformações que se avizinham.


No Fórum Econômico Mundial de 2018 foi publicado um relatório denominado "O Futuro dos Empregos".

Elaborei um resumo dos assuntos relevantes dos relatórios e os completei com informações indispensáveis aos temas publicadas em Davos entre o dia 21 e 24 de janeiro de 2020, onde foi realizado o encontro desse ano.


O senso comum do debate sobre o futuro dos empregos é que com o avanço das inovações tecnológicas, principalmente a IA - inteligência artificial - a fronteira entre as tarefas de trabalho realizadas por seres humanos e as realizadas por máquinas e algoritmos, sofrerão grandes transformações.


O quadro abaixo apresenta a taxa de automação - Divisão do trabalho como parcela das horas gastas (%):



Observa-seque até 2022 admitia-se que os 52% do número de horas trabalhadas no mundo ainda serão realizadas por humanos.


Entre 2022 e 2025 haverá uma inversão neste cenário e as máquinas passarão a assumir 52% de todas as horas trabalhadas.


Para muitos, esse cenário é uma ameaça para o futuro do trabalho. Eu, particularmente, vejo como trilha para nos levar a nova era de bom trabalho, bons empregos e melhoria da qualidade de vida para todos.


O quadro abaixo mostra as tendências definidas para impactar o crescimento dos negócios de maneira positiva / negativa até 2022, dez principais



O mercado até 2022 deverá criar demanda por profissionais com competências e habilidades que não estão sendo ensinadas na maioria esmagadora das escolas e Universidades.

No encontro de 2020, os especialistas alertaram para a lacuna aberta pela inação, principalmente nas 20 maiores economias.


Por um lado, novas tecnologias deverão gerar uma dicotomia no mercado, por outro lado impulsionarão o crescimento dos negócios. Novos empregos demandarão habilidades específicas, por outro lado, eliminarão funções inteiras que se tornarão obsoletas ou automatizadas.


As tecnologias estão surgindo a uma velocidade que a preparação de mão de obra para operá-las não está conseguindo acompanhar e isso se tornou um risco econômico para os principais países.


Dependendo da indústria e da geografia, é provável que entre 50% a 66% das empresas recorram a contratados externos, funcionários temporários e freelances para resolver as lacunas de suas habilidades.


Estudos mostram que as lacunas de desempregados, das últimas duas décadas, serão preenchidas sem requalificara mão de obra atualmente empregada e sim buscando pessoas já qualificadas no mercado ou terceirizando áreas inteiras.


A maioria considera esse comportamento das empresas desleal para com os funcionários antigos. Na realidade, somente 25% das empresas geram lucro suficiente para investirem em requalificação. Será necessário a união de governos, iniciativa privada, terceiro setor e sociedade para, juntos, buscarem uma solução.


O relatório aponta que até 2030 o mundo precisará requalificar 1 bilhão de profissionais. A questão na mesa é quem pagará essa conta?

Só nos Estados Unidos, estima-se um investimento de US$34 bilhões em requalificação.


Se as 20 maiores economias não trabalharem juntas na busca de uma solução para essa questão colocarão em jogo um PIB de US$1,3 trilhões até 2022.

Novas funções, funções estáveis e funções em declínio até 2022.



Novos funções, funções estáveis e funções em declínio até 2022.


Um estudo com 15 milhões de trabalhadores revelou que 75 milhões de empregos irão se transformar ou desaparecer.

Quando disse no início do artigo que minha visão é otimista é porque o mesmo estudo mostra que 133 milhões de novos papéis adicionais podem surgir, simultaneamente, e essa tendência deve se manter até 2025.


Na realidade, faltará mão de obra qualificada e sobrará pessoas, sem qualificação, desempregadas.

Também em 2022, 38% das empresas pesquisadas esperam estender sua força de trabalho para aumento de produtividade com novas funções. Mais de um quarto acreditam que a automação levará à criação de novas funções em suas empresas.


É provável que as empresas devam expandir o uso de prestadores de serviços para realizarem tarefas especializadas. Muitos entrevistados demonstraram intenção de envolver os trabalhadores, de maneira flexível, utilizando equipes remota além dos escritórios físicos descentralizando as operações.


Os entrevistados acreditam numa maior criação de empregos temporários na elaboração de projetos. Isto posto, produzirá transformações estruturais do mercado de trabalho, principalmente no que diz respeito: acordos contratuais, relações de emprego, bem como perfis profissionais. Em resumo, por enquanto, se prevê perdas gerais de emprego compensadas pelos ganhos de novos outros empregos.


O quadro abaixo, mostra as áreas que devem crescer e o quanto a demanda aumentará:





Além das habilidades de alta tecnologia, as habilidades adquiridas na aprendizagem socioemocional estarão em alta demanda, incluindo habilidades relacionadas a vendas, recursos humanos, assistência e educação.


Os estudos apontam que irão se transformar ou desaparecer as funções de colarinho branco com habilidades de rotina, como funcionários de entrada de dados, funcionários de contabilidade e folha de pagamento, secretários, auditores, caixas bancários e caixas de lojas. Todos suscetíveis a avanços em novas tecnologias e automação de processos.


Abaixo apresentarei o resultado da análise do relatório, dividido em: carreiras estáveis, novas carreiras e carreiras que devem sofrer grande transformação ou desaparecerem:


Funções estáveis:


1. Diretores administrativos e executivos principais

2. Gerentes gerais e de operações *

3. Desenvolvedores e analistas de software e aplicativos *

4. Analistas de dados e cientistas *

5. Profissionais de vendas e marketing *

6. Representantes de Vendas, Atacado e Manufatura, Produtos Técnicos e Científicos

7. Especialistas em Recursos Humanos

8. Consultores Financeiros e de Investimentos

9. Profissionais de banco de dados e rede

10. Especialistas em cadeia de suprimentos e logística

11. Especialistas em Gerenciamento de Riscos

12. Analistas de segurança da informação *

13. Analistas de gestão e organização

14. Engenheiros de Eletrotecnologia

15. Especialistas em Desenvolvimento Organizacional *

16. Operadores de plantas de processamento químico

17. Professores Universitários e de Ensino Superior

18. Diretores de Compliance

19. Engenheiros de Energia e Petróleo

20. Engenheiros e especialistas em robótica

21. Operadores de usinas de refino de petróleo e gás natural


Novas funções:


1. Analistas de dados e cientistas *

2. Especialistas em IA e Machine Learning

3. Gerentes gerais e de operações *

4. Especialistas em Big Data

5. Especialistas em Transformação Digital

6. Profissionais de vendas e marketing *

7. Especialistas em novas tecnologias

8. Especialistas em Desenvolvimento Organizacional *

9. Desenvolvedores e analistas de software e aplicativos *

10. Serviços de Tecnologia da Informação

11. Especialistas em automação de processos

12. Profissionais de inovação

13. Analistas de segurança da informação *

14. Especialistas em comércio eletrônico e mídias sociais

15. Experiência do usuário e máquina humana

16. Designers de interação

17. Especialistas em Treinamento e Desenvolvimento

18. Engenheiros e especialistas em robótica

19. Especialistas em Pessoas e Cultura

20. Trabalhadores de informações e atendimento ao cliente *

21. Designers de Serviços e Soluções

22. Especialistas em Marketing Digital e Estratégia


Funções com tendência de grandes transformações ou desaparecer


1. Funcionários de entrada de dados

2. Funcionários de contabilidade, contabilidade e folha de pagamento

3. Secretários administrativos e executivos

4. Montagem e Operários

5. Trabalhadores de informações e atendimento ao cliente *

6. Gerentes de serviços e administração de negócios

7. Contadores e Auditores

8. Funcionários para registro de material e manutenção de estoque

9. Gerentes gerais e de operações *

10. Funcionários do serviço postal

11. Analistas Financeiros

12. Caixas e balconistas

13. Mecânicos e reparadores de máquinas

14. Operadores de telemarketing

15. Instaladores e reparadores de eletrônicos e telecomunicações

16. Caixas bancários e funcionários relacionados

17. Motoristas de carro, van e motocicleta

18. Agentes e corretores de vendas e compras

19. Trabalhadores de vendas porta a porta, vendedores ambulantes de notícias e ruas e trabalhadores relacionados

20. Funcionários estatísticos, financeiros e de seguros

21. Advogados


Fonte: Pesquisa Future of Jobs 2018, Fórum Econômico Mundial.

Nota: As funções marcadas com * aparecem em várias colunas. Isso reflete o fato de que eles podem estar vendo demanda estável ou em declínio em um setor, mas estão em demanda em outro.




A proficiência em novas tecnologias é apenas uma parte da equação de habilidades de 2022, no entanto, como habilidades "humanas" resultantes da aprendizagem socioemocional, como criatividade, originalidade e iniciativa, pensamento crítico, persuasão e negociação também manterão ou aumentarão seu valor, assim como atenção aos detalhes, resiliência, flexibilidade e solução complexa de problemas.


A inteligência emocional, a liderança e a influência social, bem como a orientação para o serviço, também veem um aumento excessivo na demanda em relação ao seu destaque atual.


A tendência das habilidades que mais irão gerar demanda até 2022:


Hoje - 2020

  1. Criatividade;

  2. Originalidade;

  3. Iniciativa;

  4. Pensamento crítico;

  5. Persuasão;

  6. Negociação;

  7. Atenção aos detalhes;

  8. Resiliência;

  9. Flexibilidade

  10. Resolução de problemas complexos.


Tendências, 2022

  1. Pensamento analítico e inovação

  2. Aprendizagem ativa e estratégias de aprendizagem

  3. Criatividade, originalidade e iniciativa

  4. Projeto e programação de tecnologia

  5. Pensamento e análise críticos

  6. Solução complexa de problemas

  7. Liderança e influência social

  8. Inteligencia emocional

  9. Raciocínio, resolução de problemas e ideação

  10. Análise e avaliação de sistemas


Em declínio, 2022


  1. Destreza manual, resistência e precisão

  2. Memória, habilidades verbais, auditivas e espaciais

  3. Gerenciamento de recursos financeiros e materiais

  4. Instalação e manutenção de tecnologia

  5. Leitura, escrita, matemática e audição ativa

  6. Gestão de pessoal

  7. Controle de qualidade e conscientização de segurança

  8. Coordenação e gestão do tempo

  9. Habilidades visuais, auditivas e de fala

  10. Uso, monitoramento e controle de tecnologia



Conclusões do relatório "Futuro dos Empregos"


O novo mercado de trabalho que se forma após a Quarta Revolução Industrial traz desafios e oportunidades.


À medida que as empresas começam a formular estratégias de transformação de negócios e força de trabalho ao longo do período 2018-2022, elas têm uma janela genuína de oportunidade para alavancar novas tecnologias, incluindo automação, para melhorar a criação de valor econômico por meio de novas atividades, melhorar a qualidade do emprego tradicional e ocupações emergentes recentemente e aumentam as habilidades de seus funcionários para atingir todo o seu potencial para executar novas tarefas de trabalho de alto valor agregado, algumas das quais nunca antes foram realizadas por trabalhadores humanos.


É imperativo, para alcançar uma visão tão positiva do futuro dos empregos será um movimento econômico e social dos governos, empresas e indivíduos em direção à aprendizagem ágil ao longo da vida, bem como estratégias e programas inclusivos para reciclagem de habilidades e atualização em todo o espectro ocupacional.


À medida que os novos mercados de trabalho forem formados, no período 2018-2022, governos, empresas e indivíduos confrontarão com uma série de questões totalmente novas. Por exemplo, à medida que as relações de trabalho mudam cada vez mais para acordos temporários e de freelancers, pode garantir que os indivíduos recebam os apoios e as orientações necessárias para adquirir as habilidades certas ao longo de suas vidas profissionais.


Para os governos , em primeiro lugar, há uma necessidade urgente de abordar o impacto das novas tecnologias nos mercados de trabalho por meio de políticas educacionais aprimoradas, destinadas a elevar rapidamente os níveis de educação e habilidades de indivíduos de todas as idades, principalmente no que diz respeito ao STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática) e habilidades sociais não cognitivas, permitindo que as pessoas aproveitem suas capacidades exclusivamente humanas.


Para as indústrias, em primeiro lugar, valerá a pena perceber, a medida que a competição por talentos escassos e equipados, para aproveitar as oportunidades da 4ª Revolução Industrial se intensificando e se tornando mais cara nos próximos anos - há uma oportunidade de apoiar o aprimoramento de sua força de trabalho atual em direção a (e reorganizado tecnologicamente) funções de maior qualificação para garantir que sua força de trabalho alcance todo o seu potencial.


Para os trabalhadores , é inquestionável a necessidade de assumir responsabilidades pessoal pela própria aprendizagem ao longo da vida e desenvolvimento de carreira.


Por fim, o objetivo principal de governos, indústrias e trabalhadores deve ser garantir que os empregos de amanhã sejam remunerados com justiça e tratamento respeitoso com margem realista para o crescimento, desenvolvimento e realização pessoal.


Esperamos que esta nova edição do Relatório Futuro dos Empregos do Fórum Econômico Mundial forneça um apelo à ação e uma ferramenta útil para moldar proativamente o futuro dos empregos para realizar essa visão.

Endereço: SMPW quadra 16, conjunto 04 - Parkway -

Brasília / DF - Brasil.

CEP 71.741-604