Buscar

Competências e Habilidades Socioemocionais - Davos 2020

Atualizado: Mar 24


Resumo das competências e habilidades socioemocionais relacionadas pelo Fórum Econômico de 2020 realizado entre 21 e 24 de janeiro de 2020 em Davos - Suiça.


O Fórum Econômico Mundial

Tema 2020: "Partes interessadas para um mundo coeso e sustentável".


A Reunião Anual do Fórum Econômico Mundial é a principal força criativa para envolver os grandes líderes mundiais em atividades colaborativas para moldar as agendas globais, regionais e da indústria no início de cada ano. Ele reuniu 3 mil participantes de todo o mundo e buscou dar significado concreto ao “capitalismo das partes interessadas”, ajudar governos e instituições internacionais a acompanhar o progresso em direção ao Acordo de Paris e aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, além de facilitar discussões sobre tecnologia e governança comercial.

Uma das principais pautas foi sobre o futuro do emprego com o advento da IA - inteligência artificial. Escolas do ensino básico – da educação infantil ao ensino médio –, universidades e estudantes universitários, profissionais em atividade e pessoas desempregadas precisam entender o cenário da relação de trabalho homem-máquina previsto até 2030.

Em outro artigo, faço um resumo do relatório "O futuro do emprego 2018 - 2022" que apresenta uma visão muito objetiva da questão e, o mais importante, extremamente otimista para aqueles dispostos a participar do movimento "Revolução da Requalificação". Você pode acessar o resumo também em outro artigo do meu blog.



O que significa competência - Gestão de pessoas por exemplo


Competência é a mobilização de:


  1. Conhecimentos;

  2. Habilidades práticas;

  3. Habilidades cognitivas;

  4. Habilidades socioemocionais;

  5. Atitudes e valores.

Para resolver demandas complexas da vida cotidiana, do pleno exercício da cidadania e do mundo do trabalho.


Veja a relação de competências que o mercado mundial irá demandar na próxima década, segundo o Fórum Econômico Mundial 2020 -.

As competências estão ordenadas pela análise de demanda:


  1. Pensamento analítico e inovação;

  2. Aprendizagem ativa e estratégias de aprendizagem;

  3. Criatividade, originalidade e iniciativa;

  4. Projetos e programação de tecnologia;

  5. Análise e pensamento crítico;

  6. Resolução de problemas complexos;

  7. Liderança e influência social;

  8. Inteligência emocional;

  9. Raciocínio, resolução de problemas e ideação;

  10. Análise e avaliação de sistemas.

Veja a relação de "Habilidades Socioemocionais" que o mercado mundial irá demandar na próxima década, ordenadas pela importância e análise de demanda:


  1. Criatividade;

  2. Originalidade;

  3. Iniciativa;

  4. Pensamento crítico;

  5. Persuasão;

  6. Negociação;

  7. Atenção aos detalhes;

  8. Resiliência;

  9. Flexibilidade;

  10. Resolução de problemas complexos.



A "Revolução da Requalificação" - Davos 2020


Competências e habilidades socioemocionais estão na pauta do Fórum Mundial Econômico quase uma década, assim como a questão do meio ambiente. Um dos principais documentos apresentados em Davos 2020 foi "A Revolução da Requalificação".

Saiba mais! Fizemos uma síntese do relatório "A Revolução da Requalificação" apresentados no Fórum Econômico Mundial de 2020.

As previsões são extremamente otimistas, pelo menos até 2025, dado que o número de empregos que irão surgir será duas vezes superior ao número dos que irão desaparecer, e vai faltar mão de obra qualificada para preenchê-los. Tudo dependerá de força de vontade de cada um para sair da zona de acomodação e se reinventar.

Se você estiver empregado, este artigo servirá de guia de requalificação, dependendo da área de sua carreira. E, se tem filhos na educação infantil ou no ensino fundamental, além de focar na sua carreira, deve checar qual programa de aprendizagem socioemocional a escola escolhida por você está utilizando. Seja para os filhos, seja para você, se estiver cursando o ensino médio ou uma universidade, é preciso inteirar-se sobre competências e habilidades socioemocionais e principalmente, antes de decidir qualquer carreira, estudar as tendências para esta década, de 2020 a 2029.

Não tenha pressa, não se precipite, escolher uma carreira que está prestes acabar pode custar 5 anos de sua vida se preparando para competir com um robô.

Saiba mais! Fizemos uma síntese do relatório "O Futuro do Empregos" aqui no blog.

Existe um documento denominado BNCC - Base Nacional Comum Curricular - produzido pelo Ministério da Educação, que traça diretrizes do conteúdo que todas as escolas brasileiras, públicas ou privadas, devem contemplarem em seus currículos. A BNCC não define como o conteúdo deverá ser ministrado, isso fica a cargo de cada escola, assim como o programa de aprendizagem socioemocional.

Em outro artigo, faço uma análise da BNCC relativamente aos desafios que o programa deve enfrentar na sua implementação.

A primeira versão da BNCC foi publicada em dezembro de 2014 e a última, incluindo o ensino médio, em dezembro de 2018. No documento, ficou definido que todas as escolas do Brasil deverão introduzir educação socioemocional em seus currículos a partir de 2020.

Muitos ressaltam a educação da Finlândia como referência mundial, isso é um fato. Não podemos deixar de dar o devido mérito ao trabalho realizado por esse país incrível. A questão é que a população do país é de 5 milhões de habitantes, praticamente 20% da cidade de São Paulo, com quase um milênio de existência e colonização sueca – portanto, uma cultura extremamente homogênea, com economia muito forte e PIB de US$ 219 bilhões.

​Como referência, calculamos a diferença do poder econômico per capta de um país como a Finlândia e do Brasil. O PIB da Finlândia é de US$ 43.800,00 por habitante, contra US$ 2.075,65 por habitante no Brasil. O resultado per capta da Finlândia é 21 vezes maior do que o nosso. Ainda temos de levar em conta que as instituições da Finlândia estão estruturadas e não demandam grandes investimentos, enquanto, no Brasil, além da educação, precisamos investir maciçamente em saúde, segurança pública e infraestrutura.

​Não temos ainda uma cultura sistêmica para entender que o colapso que vivemos é resultado do fracasso da educação, tudo começa por ela. E a educação, por sua vez, começa em casa e depois recebe o reforço da escola. O fato é que estamos depositando, de forma injusta, a conta inteira do colapso nas escolas.

Qualquer movimento em um cenário como o da Finlândia pode acontecer de forma muito rápida, assim como aconteceu na Irlanda, na Coreia do Sul, na Noruega e na Dinamarca no início do século XXI, países com culturas homogêneas e elevado poder econômico.

Acredito que o movimento no Brasil seguirá o modelo enfrentado pela China, que iniciou suas pesquisas em 1996 e definiu uma base curricular voltada para a ASE em 2001, praticamente duas décadas antes.

Apesar de cases incríveis que encontrei em meus estudos sobre esse movimento da China, onde, com sucesso, algumas escolas se uniram aos pais por uma educação mais humana, buscando introduzir a aprendizagem socioemocional, o país ainda enfrenta uma disparidade enorme entre as escolas.

Comece agora, tem uma janela de oportunidades esperando por você!

Endereço: SMPW quadra 16, conjunto 04 - Parkway -

Brasília / DF - Brasil.

CEP 71.741-604